OBRA

A Trágica História do Rei Édipo

Videos

Sinopse

A lenda de Édipo, conhecida e estudada no mundo todo, inicia-se com a chegada de Édipo à cidade de Tebas que padecia com a horrenda Esfinge. Com sua coragem e sagacidade, Édipo decifra o enigma da Esfinge e a derrota. Sendo considerado um enviado dos deuses ao povo, Édipo é aclamado Rei e recebe como esposa, Jocasta, viúva do antigo Rei Laio.

Passado anos, após Édipo ter governado a cidade como um grande e valente Rei, uma nova peste misteriosa assombra a cidade, matando crianças, jovens e adultos. Todo povo clama para Édipo, seu Rei, Sacerdote e Protetor para que o salve.

Assim começa o espetáculo: Édipo descobre que somente encontrando o assassino do antigo Rei Laio, seu povo será libertado. Édipo não poupa esforços para que se descubra e castigue o assassino, seja ele quem for! E isso lhe custará um preço muito alto... 

Release

Cia. Práxis ReligArte apresenta “A Trágica História do Rei Édipo” com direção e dramaturgia de Alexandre Ferreira (Centro de Pesquisa Teatral, CPT – SESC) e com Felipe Hofstatter, Victória Camargo, Hercules Moraes e Antonio de Campos no elenco.

Nesta tragédia grega, escrita por Sófocles, Édipo passa a vida longe de sua verdadeira família, por conta das adivinhações tenebrosas feitas por um oráculo. Passa por caminhos tortuosos e, já crescido, volta para sua cidade natal e, mesmo sem saber, acaba cumprindo a profecia à qual estava destinado.

Ficha Técnica

Iluminação e Op . de Luz: José Luiz Fagundes

Sonoplastia: Alexandre Ferreira

Cenário, Figurinos e Adereços: Juliana Fernandes e Vinícius Ribela

Op . de Som: Wellington Lima

Arte e Fotografia: André Leão

Direção e Adaptação: Alexandre Ferreira

Produção: ETC na Rua


Elenco:

Felipe Hofstatter

Victória Camargo

Hercules Moraes

Antonio de Campos

Jefferson Primo

Ricardo Assumpção

Aline Samsa

Marcelo Raulino

Socleson Dantas

Ana Cardoso

Idileine Lins

Letícia Resende

Stephanie Leite

Sofia Savietto

Quem assina a obra?

Alexandre Ferreira

Produtores

Bárbara Guilherme (ETC na Rua)

Currículo

Estreou nos dias 27 e 28 de setembro de 2019 no Sesc Jundiaí.

Repertório Músical

Possui apenas efeitos e parte de uma música.

Críticas e citações na imprensa

https://teatronasaladeaula.com.br/a-tragica-historia-do-rei-edipo/

Assisti esta peça no Sesc Jundiaí, dia 28 de setembro, um dia depois de sua estreia.

Quando a peça começou gostei tanto dos figurinos, que pensei que seria o que mais me encantaria em toda a montagem! Eles são lindos e permitem um olhar para as personagens, especialmente para o coro, que mistura a tragicidade deste texto com o fato de serem pessoas da cidade de Tebas. As máscaras permitem que você descubra quão significativo pode ser este recurso na criação de um personagem.

Eu adoro este texto, foi o que eu escolhi para estreia aqui no blog da aba dramaturgia, onde comento diferentes textos teatrais, veja em http://teatronasaladeaula.com.br/dramaturgia/. Assistir uma montagem de Édipo é sempre um risco, risco de não alcançar a potência do texto, risco de não ser tão boa quanto outras já vistas.

Esta me cativou logo de cara com os figurinos, o jogo de luz foi o segundo aspecto que me permitiu adentrar as cenas e já seria o bastante para recomendar que você saia de casa para ir ao teatro!

Mas as cenas finais emocionaram! Tanto Jocasta (interpretada por Victória Camargo), como Édipo (interpretado por Felipe Hofstatter) dão conta da contundência deste momento tão trágico que é a descoberta de Édipo sobre si mesmo.

Se você não conhece o texto, leia! Se você nunca viu esta peça montada, não perca a chance. Não fosse esta uma postagem curta, eu poderia falar sobre o Tirésias e o menino, que fazem um jogo no qual os dois se amalgamam ou sobre a menina do coro que canta lindamente. Se quiser saber mais, não perca a próxima apresentação. Para conhecer sobre o trabalho do grupo, entre em https://www.facebook.com/praxisreligarte/

Histórico de Apresentações

O espetáculo estreou nos dias 27 e 28 de setembro de 2019 no Sesc Jundiaí.

Descrição da bagagem (Volumes e Pesos) e do Cenário/da Obra

Escada do do palácio de Édipo é composta por

3 módulos de 1m x 1m x 1m

3 módulos de 60cm x 1m x 60cm

3 módulos de 30cm x 1m x 60cm

1 escada lateral para acesso ao módulo mais alto.

Toda a escada pode ser substituída por plataformas pantográficas, caso a sala de teatro tenha.

Descrição do Público Alvo

Principal: jovens, homens e mulheres, a partir dos 16 anos, que não tem contato com montagens clássicas e as tragédias. Secundário: atores, diretores, psicólogos, psicanalistas.